Últimas Notícias

CET vai reduzir velocidade da Av. Prof. Vicente Rao e mais 4 vias da Zona Sul

Publicado: 22/10/2015 às 11:00:05

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vai reduzir o limite de velocidade em mais cinco vias de São Paulo a partir da quarta-feira (28). A redução acontecerá no corredor formado pelas avenidas Roque Petroni Júnior, Professor Vicente Rao e Vereador João de Luca, Rua Juan de La Cruz e Avenida Cupecê, todas na Zona Sul . A velocidade máxima nas vias passará de 60 km/h para 50 km/h.

Na Avenida Roque Petroni Júnior, a mudança vai valer no trecho de 1,5 km entre as avenidas Nações Unidas e Santo Amaro.

 

Na Avenida Professor Vicente Rao, o limite de velocidade será alterado no trecho entre as avenidas Santo Amaro e Washington Luís, que tem 2,5 km de extensão.Leia mais acessando o link abaixo:

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/10/cet-vai-reduzir-velocidade-da-av-prof-vicente-rao-e-mais-4-vias-da-zona-sul.html

Ver notícia

Outras Notícias

Estabilidade política que caracterizou País na última década desapareceu, diz FT

22/10/2015 às 11:19:39

Nuvens políticas prejudicam as perspectivas de investimento no Brasil. Esse é o resumo de análise que ocupa a contracapa da edição impressa do jornal Financial Times desta quarta-feira, 21. Assinada pelo chefe da sucursal de São Paulo do FT, Joe Leahy, o texto destaca que a presidente Dilma Rousseff teve na última sexta-feira uma amostra do eventual custo de perder o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. A análise cita que "vários fatores afetam o mercado brasileiro". No campo doméstico, analistas ouvidos pelo FT citam que o adversário é "quase exclusivamente político".   "Durante os dez primeiros meses do segundo mandato da senhora Rousseff, a estabilidade que caracterizou muito da última década da política brasileira desapareceu", cita o texto. Leia mais acessando o link abaixo: http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/economia/20151021/estabilidade-politica-que-caracterizou-pais-ultima-decada-desapareceu-diz/310232

Oposição evita novas críticas para estimular Cunha a abrir impeachment

22/10/2015 às 11:18:21

Ao poupar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) durante o ato de apresentação do novo pedido de impeachment, a oposição tem o objetivo de estimulá-lo a aceitar a abertura do processo contra Dilma Rousseff no Legislativo. Nos bastidores, líderes do DEM, PSDB, PPS e Solidariedade se reuniram nesta terça-feira, 20, com os presidentes nacionais do PSDB, senador Aécio Neves (MG), e do PPS, Roberto Freire (SP). Aécio e Freire teriam dissuadido oposicionistas de lançar nova nota contra Cunha.   As lideranças confirmaram o encontro, mas afirmaram que não houve orientação para barrar a nota. "Houve um entendimento entre todos os presentes de que uma nova nota pareceria frouxa e que as falas durante atos eram mais fortes", afirmou o líder da minoria, deputado Bruno Araújo (PSDB-PE). Leia mais acessando o link abaixo: http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2015/10/22/interna_politica,700313/oposicao-evita-novas-criticas-para-estimular-cunha-a-abrir-impeachment.shtml

Após críticas, Dilma defende programa Bolsa Família

22/10/2015 às 11:17:04

Em suas redes sociais, a presidente Dilma Rousseff afirmou que "cortar o Bolsa Família significa atentar contra 50 milhões de brasileiros que hoje têm uma vida melhor por causa do programa".   As críticas de Dilma são para a proposta do relator do projeto de lei orçamentária de 2016, deputado Ricardo Barros (PP-PR), de corte de R$ 10 bilhões no orçamento do ano que vem do programa Bolsa Família."Não podemos permitir que isso aconteça. Estou certa que o bom senso prevalecerá na destinação de recursos ao programa", afirmou Dilma. Leia mais acessando o link abaixo: http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/649032/apos-criticas-dilma-defende-programa-bolsa-familia

Investir no Tesouro Direto é mais barato que ir ao cinema

22/10/2015 às 11:15:24

Com o alto patamar da taxa Selic - que foi mantida aos 14,25% ao ano pelo Copom -  investimentos de renda fixa têm oferecido retornos atraentes, já que muitos deles acompanham as flutuações da taxa básica de juros. Os títulos públicos, vendidos pelo Tesouro Direto, são uma das opções que o investidor tem para nadar na maré dos juros altos, de forma segura e confortável. E o melhor: eles são a opção mais democrática.   Para não cometer injustiças, vale dizer que a poupança poderia dividir com o Tesouro Direto o prêmio de investimento mais democrático do Brasil, mas como ela não acompanha as flutuações da taxa Selic (depois que a taxa passa dos 8,5% ao ano), apesar de ser democrática, ela não é muito lucrativa, por isso não merece grandes destaques. Leia mais acessando o link abaixo: http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/investimento-no-tesouro-direto-e-mais-barato-que-cinema

Ambulantes impedem lojistas do Brás de abrirem as portas

22/10/2015 às 09:48:13

Desde a madrugada desta quinta-feira (22), ambulantes protestam no Brás, na região central da capital paulista, contra medida da Prefeitura de São Paulo que os obriga a trabalhar em feiras. Eles impedem lojistas de abrirem as portas das lojas de roupas, segundo o Bom Dia São Paulo. Ora, os ambulantes caminham em grandes grupos pelas ruas do bairro hostilizando as pessoas, ora ficam parados. Eles chegaram a escrever "queremos trabalhar" com tinta branca sobre o asfalto.   O objetivo dos ambulantes, segundo a Polícia Militar, é que sigam trabalhando nas ruas do Brás.  A Guarda Civil Metropolitana (GCM) está na região para impedir que eles montem suas barracas. Leia mais acessando o link abaixo: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/10/ambulantes-impedem-lojistas-do-bras-de-abrirem-portas.html

CPI da Petrobras aprova relatório sem indiciamento de políticos

22/10/2015 às 09:47:14

  Entrou pela madrugada a votação do relatório final da CPI da Petrobras. Apesar das críticas, não houve pedidos de indiciamento contra nenhum político. Não deu em nada. E a CPI foi criada para investigar a corrupção na Petrobras. Durante as investigações do Ministério Público, surgiram nomes de vários políticos, citados nas confissões de executivos de empreiteiras e de lobistas. Esses políticos não foram sequer ouvidos na CPI.   Abatido por uma conjuntivite e uma saraivada de críticas de colegas, o relator da CPI da Petrobras deu os seus argumentos para não ter pedido o indiciamento de nenhum político investigado na Operação Lava Jato. “Para seguir qualquer indiciamento é necessário que exista indícios de autoria e materialidade dos delitos”, afirma o relator da CPI deputado Luiz Sérgio do PT-RJ. Leia mais acessando o link abaixo:  http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2015/10/cpi-da-petrobras-aprova-relatorio-sem-indiciamento-de-politicos.html  

Parceiros